O prémio que consagra a Madeira como o melhor destino de cruzeiros da Europa, em 2022, anunciado nesta terça-feira, foi recebido com muito entusiasmo pela comunidade portuária que trabalha com os cruzeiros que se juntou na Gare Marítima da região para festejar este galardão.

Uma festa simples que reuniu o Secretário Regional da Economia que tutela os Portos da Madeira, a Administração da APRAM, S.A. bem como os seus trabalhadores, agentes de viagens e operadores turisticos, todos a comemorar um prémio que distingue também o trabalho de cada um, no que toca a receber os turistas que entram na Madeira pelo Porto do Funchal.
Foi a primeira vez que a Madeira foi nomeada para os prémios ‘World Cruise Awards’, pela própria organização do concurso.

 

Madeira_Melhor_Destino_Europeu_de_Cruzeiros_002.jpg



Para o Secretário Regional da Economia, Rui Barreto, a distinção da Região Autónoma da Madeira, enquanto Melhor Destino de Cruzeiros da Europa nos ‘World Cruise Awards’ vem “reconhecer, premiar e celebrar a excelência no setor global de cruzeiros. É, por isso, o reconhecimento do trabalho realizado na Região nos últimos anos, em prol do turismo de cruzeiros, que tem permitido à Madeira ocupar um lugar de destaque a nível nacional no que se refere ao número de escalas, assim como de passageiros”.

Na base deste prémio esteve um trabalho contínuo desenvolvido ao longo dos últimos anos pela APRAM – Administração dos Portos da Região Autónoma da Madeira, S.A., nomeadamente durante a pandemia, que obrigou a APRAM a uma constante reinvenção e adaptação para responder às novas exigências do mercado.

Por isso, a Presidente do CA da APRAM, Paula Cabaço considera que “Esta distinção é, para nós e para a região, um grande orgulho, refletindo o sucesso da estratégia levada a cabo pelos Portos da Madeira na sequência da COVID, reconstruindo a confiança dos turistas de cruzeiros, estimulando a procura e mantendo a Região no topo das preferências do turismo de cruzeiro europeu”.

“O nosso destino tem-se afirmado pela sua unicidade, pela sua qualidade e pela sua capacidade de renovação, num mercado que é, como sabemos, altamente exigente e competitivo”, acrescenta Paula Cabaço, acreditando que “esta distinção vai certamente trazer frutos bastante positivos para o futuro que se avizinha.

Os ‘World Cruise Awards’ foram atribuídos, pela primeira vez, no ano passado. O evento é considerado “irmão” dos ‘World Travel Awards’, criados em 1993 e considerados os “óscares do turismo”, onde a Madeira já conquistou por oito vezes o galardão de “Melhor Destino Insular da Europa” e por sete vezes, o de “Melhor Destino Insular do Mundo”. 

 

IMG 1128 

A APRAM, S.A., adquiriu um novo equipamento para recolha de resíduos sólidos flutuantes, o Enhancer E-B2100, o primeiro do género a ser utilizado em Portugal e que visa combater a poluição marítima e proteger as águas, limpando o lixo flutuante.

Alguns funcionários da empresa receberam formação esta semana, para operar com esta unidade que tem uma aplicação multidisciplinar e permite recolher os resíduos que chegam por exemplo, através das ribeiras que desaguam na bacia portuária, de várias formas: por varredura com o equipamento acoplado a uma embarcação na água como foi testado nesta ação de formação ou por recolha direta, mergulhando o cesto de modo isolado ou instalando-o num local fixo com o auxílio de barreiras RO-FENCE 600.

A presidente do Conselho de Administração, Paula Cabaço, considera que este foi “mais um passo no grande objetivo da empresa para os próximos anos: a sustentabilidade ambiental.”

A DESMI, empresa fornecedora, uma das mais antigas da Dinamarca, apresenta este equipamento como “capaz de conter grande parte dos detritos da superfície flutuante, permitindo que partículas menores e a maioria dos materiais naturais suspensos na coluna de água passem. É a escolha perfeita para a coleta e gestão de resíduos.”

A nova aquisição teve um custo total de 48 710,00 e uma comparticipação europeia de 30 152,74, através do Projeto Oceanlit, um projeto de cooperação territorial entre a Madeira, Açores, Canárias e Cabo Verde, do programa Interreg MAC 2014-2020, cofinanciado pela UE e cujo objetivo é reduzir o lixo marinho, favorecendo a conservação e a recuperação de áreas naturais costeiras e marinhas protegidas em arquipélagos oceânicos.

  PHOTO 2022 11 03 16 15 45IMG 0530IMG 0527IMG 0475IMG_0507.jpgIMG_0523.jpg IMG 0446

 

 

A APRAM, SA, abriu concurso público para a atribuição de uma licença de ocupação e utilização da área próxima do Cais 8, onde nos últimos anos, tem sido instalado um parque de diversões com circo.

Consultar aquiaqui  

A presidente do Conselho de Administração da APRAM defende hoje no XIII Congresso da Associação de Portos de Língua Portuguesa, APLOP,  que “a proximidade e segurança das ilhas da Macaronésia são atualmente uma vantagem competitiva  para   os Portos de Cabo Verde, Madeira e Canárias no que  se refere à atração de mais cruzeiros para a rota atlântica.”

Com uma intervenção intitulada “Parcerias Estratégicas para o setor dos cruzeiros – Macaronésia”, Paula Cabaço está na ilha do Sal, a convite da direção da APLOP, para participar neste congresso que começou ontem e termina nesta sexta-feira, sob o tema genérico “Novos Desafios, Novas Oportunidades para os portos da Lusofonia”, desenvolvido em quatro painéis: “Desenvolvimento de Negócio – Novas Oportunidades para os portos”; “Portos (Verdes) do Futuro – desafios e oportunidades; “O Direito Portuário nos Países da CPLP”: e “Promoção e Estratégia da Internacionalização dos portos da CPLP.”

Paula Cabaço recordou que a Marca CAI, “Cruise in the Atlantic Island”, criada em 1994 pelos portos de Canarias e da Madeira, a que se juntou mais tarde, Cabo Verde, representava em 2019, antes da pandemia, 3 200 000 passageiros e 1529 escalas. De referir, que no ano anterior, em 2018, o número de escalas foi superior, 1634 escalas.

A Presidente do CA da APRAM considera que que “todo o trabalho feito ao longo deste período, durante o qual o número de escalas triplicou,  dá-nos a certeza que esta parceria funcionou muito bem. E perante o atual estado do mundo, ainda com reflexos de uma pandemia e com uma guerra que não se sabe quando nem como terminará, temos de reforçar a parceria da CAI, aprofundando o conhecimento dos respetivos territórios e das suas respetivas potencialidades”. 

“Na atual conjuntura, é preciso termos em atenção que os mercados de proximidade e seguros são valorizados pela procura,  pelo que são decisivos para o modelo de negócios desenvolvido pelas Administrações Portuárias desta área geográfica. Temos de alcançar novos mercados emissores, mas sobretudo, potenciar ainda mais este itinerário já existente”, defendeu Paula Cabaço que pretende, além das reuniões periódicas para desenvolver o Plano de Promoção conjunto da CAI, que o passo seguinte seja “a criação de uma figura jurídica de interesse mútuo,  que permita captar fontes de financiamento comunitário para o desenvolvimento de projetos conjuntos entre os três arquipélagos.”

“Temos de promover a área das Ilhas Atlânticas e as regiões da CAI, como destino de cruzeiros de excelência”, afirmou a presidente do CA da APRAM que considera “fundamental aumentar a eficácia e eficiência das quatro administrações portuárias envolvidas no que se refere à troca de informação constante, quer seja estatística, quer dos modelos comerciais, do desenvolvimento do produto turístico de cada região, assim  como relativamente  aos novos desafios na gestão portuária,  nomeadamente nas áreas da digitalização e sustentabilidade” sublinhou. 

A marca CAI envolve três países, Portugal, Espanha e Cabo Verde, três arquipélagos Madeira, Canárias e Cabo Verde, três destinos, dois continentes, Europa e África, e 11 portos.

O ministro do Mar de Cabo Verde, Abraão Vicente presidiu à abertura deste congresso que vai ser encerrado pelo ministro do Turismo e dos Transportes do governo cabo-verdiano, Carlos Jorge Santos.

PHOTO 2022 10 27 14 19 29

A fotografia que marca o final da ação de promoção da Madeira como destino de cruzeiros, uma iniciativa da Administração dos Portos da região, APRAM, S.A., que terminou no Porto do Funchal.

Durante quatro dias, seis jornalistas de meios nacionais e internacionais percorreram os circuitos turísticos mais utilizados pelos passageiros dos navios de cruzeiro que visitam a Madeira.

A experiência incluiu também a ilha de Porto Santo e respetivo porto e contactos com os operadores logísticos e turísticos do setor de cruzeiros.

 

20221009 133510

FaLang translation system by Faboba
Este sítio utiliza cookies para facilitar a navegação e obter estatísticas de utilização. Pode consultar a nossa Política de Privacidade aqui.