Mário Ferreira, o armador com sete navios registados no MAR

 

Mário Ferreira, proprietário do “World Voyager”, quis estar acompanhado da família, presente na estreia do navio na Madeira e viajou até às Desertas e ao Porto Santo, desembarcando na ilha e seguindo de avião para o continente.

Dos seus navios, sete estão registados no MAR, o Registo Internacional de Navios da Madeira e os impostos dos seus 2000 colaboradores são pagos nesta região.

Admite que poderá interessar-se pela ligação ferry entre a Madeira e o continente, desde que subsidiada pelo Estado e “depois de bem estudada.”

É uma das suas características, estudar bem os dossiers, antes de investir, isso aliado a outras características como ousadia, engenho, astúcia e muita experiência em negócios, a que juntou também a formação universitária.

Sem dúvida, um empreendedor. Trabalhou dois anos em restaurantes e durante cinco anos, foi tripulante em navios de luxo. O primeiro investimento foi aos 20 anos, um T3 em Matosinhos, aos 30 já tinha ganho o primeiro milhão. Hoje são vários os negócios e em várias partes do mundo, sendo, no entanto, a marca mais conhecida a Douro Azul.

Num perfil feito pelo “Expresso”, a propósito da compra de 30% das ações da Media Capital, proprietária da TVI, a apresentação deste empresário é feita assim: “Aos 16 anos partiu para Londres com 50 libras no bolso. Aos 52 está na lista dos 20 mais ricos de Portugal”. 

Aos 53 anos, concretizou um desafio, um cruzeiro entre as ilhas portuguesas, em tempo ainda de pandemia e quando o sector de cruzeiros estava ainda praticamente parado. Mas, não é a primeira vez que aposta em tempos de dificuldades, pois “os melhores negócios fazem-se em tempo de crise,” diz.

FaLang translation system by Faboba